Criar um Site Grátis Fantástico
ONLINE
1


Partilhe esta Página


 



Total de visitas: 121148
PÁGINA INICIAL

A História da Contabilidade

Como tudo começou

 

 

O computador, o carro, o avião e essa infinidade de máquinas sofisticadíssimas são coisas que, por estarem aí no dia-a-dia das pessoas, já não nos causam espanto. Porém, se essas mesmas coisas aparecessem há mil anos atrás, como as pessoas reagiriam? E, se voltássemos mais e mais no tempo, quando o homem nem se quer usava a linguagem para se comunicar, qual seria a sua reação?...

É certo que não temos de ficar cultuando o que já foi criado em prejuízo daquilo que pode estar sendo inventado agora, como “um carro caminhando” numa estrada com os faróis voltados para trás”. Isso porque o tempo não espera lá fora e temos, ainda, que buscar e inventar soluções para muitas coisas, mas tudo isso sem perder a noção de que tudo passa por um processo de aperfeiçoamento e que não surge do nada.

Toda ciência ou disciplina surgiu de uma necessidade humana. Nenhuma, entretanto, foi inventada ou nasceu como tal. Todas elas, sem exceção, passaram por várias fases até atingirem o estágio atual da ciência. Por exemplo, a astronomia.

A astronomia nasceu da necessidade do homem de se orientar no tempo e no espaço. Através da observação dos astros, o homem pôde equacionar seus movimentos e estabelecer uma relação uniforme e periódica entre os mesmos, empreendendo grandes viagens por terra ou mar, orientando-se por tais movimentos. A astronomia, com o passar do tempo, foi evoluindo e hoje associada, é claro, a várias outras ciências permite ao homem ir à Lua e de lá voltar.

Com a CONTABILIDADE não podia ser diferente. Nascendo da necessidade que teve o homem de controlarem os seus pertences – o seu patrimônio – a contabilidade passou por várias fases até atingir o estágio atual da ciência.

Segundo historiadores e pesquisadores arqueológicos, vestígios de contabilidade foram encontrados em escritas nas paredes das cavernas, registrando, tentativas do homem daquela época em controlar os seus pertences.

Os incas, os gregos, os fenícios, os romanos, os egípcios, cada um ao seu tempo e época e à sua maneira, usaram princípios e normas controladoras de arrecadação de impostos e orçamentos, que nada mais eram que princípios contábeis, inclusive com a escrituração de livros próprios.

Na época do feudalismo, os senhores feudais, proprietários de grandes terras, praticavam uma espécie de “contabilidade familiar”, como um passatempo. Exerciam um controle fiel sobre as terras arrendadas aos colonos, sobre as colheitas, e até sobre os objetos de uso pessoal, como pratarias, adornos e utensílios domésticos.

Todos os registros, entretanto, eram feitos naturalmente, classificados como escrita natural ou simples apontamentos, sem a preocupação científica de se estabelecer uma relação entre DÉBITOS E CRÉDITOS.